segunda-feira, 1 de junho de 2015

Não achei no Google!!! O que é que eu faço?


 Thinkstock

Onde buscar quando nem o Google tem a resposta?

http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2015/05/150527_buscadores_alternativa_google_fn.shtml?ocid=socialflow_facebook


Se um novo ditado popular fosse criado, poderia ser algo como "se não está no Google, não existe".
Mas a afirmação gera dúvidas. O que fazer quando você não encontra o que procura no Google?
O gigante de tecnologia criado pelos americanos Larry Page e Sergey Brin no final da década de 1990 indexa mais de 1 bilhão de páginas da web.
Mas, às vezes, quando não conseguimos encontrar exatamente o que queremos usando a ferramenta de busca mais famosa do mundo, temos de recorrer a buscadores especiais, não tão conhecidos mas muito úteis. Veja abaixo alguns deles.

Informação científica

Um dos grandes problemas da web é separar quais são as informações relevantes.
Às vezes o usuário pode estar interessado em encontrar informação especializada ou científica, que tenha veracidade garantida. Ao procurar no Google, ele poderá navegar durante horas por páginas de economistas, curandeiros, biólogos entre outros, tudo misturado.

Uma forma de encontrar pesquisas sérias sobre matérias acadêmicas é navegar em portais que compilam esse tipo de informação especializada, vinda de pesquisadores de universidades e outras instituições famosas.

Para quem se interessa por ciências sociais, é possível buscar estudos de economia, direito, humanidades etc, no portal Social Science Research Network, que, todos os anos, é listado entre os melhores do Ranking Web of Repositories.
Se o assunto são as ciências naturais, os estudos de melhor qualidade podem ser encontrados, por exemplo, em scienceresearch.com, que usa uma "tecnologia de busca federada" para oferecer bons resultados em tempo real, afirma o site.
Também é possível encontrar informações especializadas nas pesquisas da América Latina graças ao site Red de Repositorios Latinoamericanos, coordenado pela Universidad de Chile.

Buscas no passado

Outros problema na hora de fazer buscas na internet é que, às vezes, você busca algo que encontrou uma vez e, quando vai procurar de novo, foi apagado.
Para resolver isto existe o buscador waybackmachine que, na verdade, é um arquivo de internet que oferece estes conteúdos desaparecidos.
Esta ferramenta existe desde 1996 e, neste período, já arquivou mais de 40 bilhões de páginas.
Com este buscador é possível navegar ao passado e ver como era um site, e o que ele dizia, em um momento específico da história.

Para isto, basta colocar o nome da página e escolher os arquivos disponíveis em um calendário que identifica os momentos que se fez uma cópia da mesma para a posteridade.

Cuidado com as fotos!

Geralmente buscamos fotos escrevendo algumas palavras chave que nos mostram as imagens relacionadas. Mas, e quando precisamos saber quando uma foto foi publicada antes ou não?
Para isto existe o Tin Eye, uma ferramente que promete justamente este tipo de busca gratuitamente: coloque uma foto ou o link da foto e o buscador informa onde encontrá-la ou se já apareceu antes (inclusive com modificações) graças a uma tecnologia de reconhecimento digital.
Os motivos para este tipo de busca podem ser muitos: se é um fotógrafo, pode querer verificar se alguém usou suas fotos sem permissão; se é um leitor mais crítico de notícias, pode comprovar que nenhum meio de comunicação mostre em uma notícia atual uma foto de algo que, na verdade, já aconteceu há muito tempo.

Boa pesquisa !!
















domingo, 9 de junho de 2013

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

A trintona mais vista na internet.


E a "carinha" ficou trintona!!




Em setembro de 1982, o cientista Scott Fahlman, então com 34 anos,
acordou tarde. Como de costume, a primeira coisa que fez foi se
debruçar sobre o computador.

Exatamente às 11h44 do dia 19, disparou um e-mail para o fórum
on-line do qual fazia parte na Universidade Carnegie Mellon.

Nascia ali o primeiro emoticon da rede.

Seu objetivo ao criar "acidentalmente" o primeiro emotion era de evitar
mal-entedidos nas mensagens eletrônicas.

Assim quando uma mensagem contivesse um :-) seria uma piada, 
mas caso fosse um :-(  trataria de assunto sério.

Foto de GeneJPuskar/AP

Depois de tantos anos, o pai da carinha mais usada e conhecida
na internet declara que não ganhou nemum centavo com sua invenção.

Saiba mais lendo a entrevista dada à Folha:

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

O pé não esquece.

Li esse artigo na Folha há alguns anos, hoje me lembrei do título, pesquisei e reescrevo para todos.


...em homenagem ao meu pai, que como Octavio foi um carioca autêntico.




O pé não esquece.


RUY CASTRO




RIO DE JANEIRO - Há dez anos, vi Octavio de Moraes na praia do Diabo, no Arpoador, de papo com um amigo. 
Octavio, cor de mogno, já tinha 70 e tantos anos. 
Era ex-craque do Botafogo, arquiteto aposentado e filho da cronista Eneida, autora do definitivo "História do Carnaval Carioca". 
De repente, uma bola de frescobol rolou a seus pés, atirada por um rapaz que disputava uma partida a 50 ou 60 metros dali. 
Os jovens pediram que ele a devolvesse.
Octavio nem respondeu. 
Enquanto conversava, fez um montinho de areia com o pé descalço. Ajeitou a bolinha e, com um chute de três dedos, jogou-a na raquete de um dos garotos, que mal teve de esticar o braço. 
E reatou o papo com o amigo como se não tivesse feito nada demais. 
Estupefato, concluí: o sujeito envelhece e suas pernas já não aguentam correr, mas há coisas que o pé não esquece. Uma delas, colocar uma bola, mesmo que de frescobol, a 50 ou 60 metros, em cima de um lenço, se preciso for.
Em sua breve carreira no futebol, Octavio fora artilheiro e campeão carioca pelo Botafogo em 1948 e sul-americano pelo Brasil em 1949. 
Pouco depois, trocou o gramado pela prancheta e pela praia. Certa vez em Copacabana, nos anos 50, para driblar a proibição de jogar pelada na areia, ajudou a inventar nada menos que o futivôlei. 
Belo currículo. 
Mas, se tantos o invejavam naquela época, era por namorar a cantora Elizeth Cardoso, admirada não apenas pela voz.
Em 2005, ouvi-o muitas vezes sobre Garrincha para meu livro "Estrela Solitária". 
Octavio não chegara a jogar com Garrincha, mas conhecia como ninguém a alma do Botafogo, no fundo a dele próprio.
Morreu na semana passada no Rio, aos 86 anos. 
Não tinha poupança, nem seguro, nem plano de saúde. 
Mas tinha muitos amigos, que não o esqueceram e foram com ele até o fim.


Fonte: FOLHA DE S PAULO - Segunda-feira, Outubro 26, 2009

domingo, 4 de dezembro de 2011

Nova lei contra segregação racial

 Nova lei contra segregação racial.


Sentido sermos parte de uma minoria, segregada no Brasil, nós polacos reivindicamos uma atitude do governo federal para sermos igualados aos negros no status dos direitos de cidadãos, mesmo que não possa chamar negro de negro.


1- Fica estabelecida a cota de 5% para polacos nas universidades públicas das regiões Norte e Nordeste do Brasil.


2- Fica proibido chamar descendentes de alemães, ucranianos, holandeses e outros europeus de polaco.


3- Fica proibido chamar os polacos de polacos, pois o termo é pejorativo e denigre a imagem deste ser humano.


4- Fica estabelecido que os polacos devem sem chamados de "cidadãos de descendência polonesa".


5- Chamar polaco de polaco passa a ser crime de racismo. O mesmo é estendido às variações "polacão", "polaquinho", "polaca", "polaquinha", etc.


6- Fica proibido usar expressões de cunho pejorativo associadas aos polacos. Ex: "Coisa de polaco!", "Polaco do Cara_ho..", "Serviço de polaco", etc.


7- Fica estabelecido o dia 21 de novembro como o "dia nacional da consciência polaca", e o dia 23 de junho como o "dia nacional do orgulho polaco", mesmo que não possa chamar polaco de polaco.


8- Passa a ser crime de "polacofobia" qualquer agressão deliberada contra um polaco, mesmo que não possa chamar polaco de polaco.


9- Toda criança que usar a expressão "polaco da ribeirinha ou barreirinha (pra quem mora em Curitiba) que solta pum e sai farinha" estará cometendo Bulling e deve ser encaminhada para tratamento psicológico.


10- Ficam estabelecidos como Centros Nacionais da Cultura Polaca o bairro da Barreirinha em Curitiba e a cidade de Cruz Machado, ambas no Paraná.




Não sou descendente de alemão, ucraniano, holandeses e etc, mas apoio.

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Campanha contra o câncer.

Depois da campanha do câncer de mama,
agora é a vez da campanha 
contra o câncer de próstata.






Campanha contra o câncer de próstata.
Quem é macho compartilha, lê e indica para um amigo!

domingo, 25 de setembro de 2011

Poema de Clarice Lispector, Mudança.

Mude.


Mudança de Clarice Lispector, por Juca de Oliveira.













;-)

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

SEM COMENTÁRIOS...



Quero ver ter coragem de perguntar a senha novamente. 






KKKKKK








:-)

sábado, 27 de agosto de 2011

Garotos...



Passa ano, muda século, vira milênio, não importa.
Muda a moda, mudam os cabelos, as cores, os saltos, enfim.
Nós (homens) ainda continuamos garotos, sendo enfeitiçados pela beleza da mulher.

"Garotos não resistem aos seus mistérios, 
garotos nunca dizem não,
garotos, como eu, sempre tão espertos, 
perto de uma mulher são só garotos..."
Leoni

video



domingo, 21 de agosto de 2011

Se aplica ao Brasil?




“Quando você perceber que, para produzir, precisa obter a autorização de quem não produz nada; 
quando comprovar que o dinheiro flui para quem negocia não com bens, mas com favores; 
quando perceber que muitos ficam ricos pelo suborno e por influência, mais que pelo trabalho, e que as leis não nos protegem deles, mas, pelo contrário, são eles que estão protegidos de você; 
quando perceber que a corrupção é recompensada, e a honestidade se converte em auto-sacrifício; 
então poderá afirmar, sem temor de errar, que sua sociedade está condenada”.
(Ayn Rand)



http://en.wikipedia.org/wiki/Ayn_Rand
 
Pesquisa personalizada